Tecnodrom.com.br
Tecnodrom.com.br
Tecnodrom.com.br


Autor: Michel

Autor: Michel | Data: 14/03/2014

Nesta última quarta-feira, 12 de Março, a famosa World Wide Web, ou simplesmente Web (para os mais íntimos) comemorou mais um ano de existência, completando 25 anos de história.

 

 

Vale lembrar que Web e Internet não são a mesma coisa, embora trabalham em conjunto para lhe fornecer os fabulosos conteúdos (úteis e inúteis), em diversas mídias, no formato de websites dos mais variados gêneros, onde quem gosta, gosta e quem não gosta, curte (Hehe).

Para saber mais se nós navegamos pela Internet ou pela Web, leia esta antiga postagem do Tecnodrom (ela pode estar um pouco empoeirada, então tome cuidado - Risos).

Mas obviamente, o objetivo inicial da Web não foi o compartilhamento de vídeos de gatinhos fofinhos ou de acidentes com veículos na Rússia.

 

Há 25 anos a internet não era mais que uma ideia no papel, feita por um especialista em informática, num laboratório europeu. Nessa época, apesar de já existirem alguns computadores, o armazenamento dos dados era o principal problema da arquitetura do período, uma vez que não havia uma rede de grandes proporções, que interligasse diversos computadores ao redor do mundo, tornando um ambiente propício para duplicação de dados. Pensando nisso, o britânico Tim Berners-Lee arquitetou uma maneira fácil de acessar os arquivos de computadores interconectados.

 

Tim publicou sua ideia num artigo publicado em 12 de março de 1989, data adotada como o nascimento da World Wide Web (WWW). A ideia era tão surreal para a época que até mesmo seus colegas de trabalho a ignoraram por completo.

 

Após um longo tempo, Tim finalmente consegue convencer o CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), local onde ele trabalhava, a adotar o sistema WWW, após mostrar a sua utilidade.

 

Desde então, a Web não parou de crescer, tornando-se essa incrível ferramenta atual. Esperamos que ela assopre muitas outras velinhas de aniversário pela frente.

 


Autor: Michel

Autor: Michel | Data: 10/03/2014

Após a chegada dos dispositivos móveis, cada dia mais pessoas deixam de utilizar os computadores. Atualmente, esses dispositivos podem fazer quase tudo em que o usuário comum faria no computador.

Foi pensando nisso que a empresa Kingston criou o DataTraveler microDuo, que funciona como um pen drive para dispositivos móveis.


Utilizando a porta microUSB do dispositivo, ele aumenta a capacidade de armazenamento,sendo possível fazer backup dos seus arquivos ou armazenando arquivos muito grandes(thepiratebay). Infelizmente, esse USB só está disponivel para dispositivos com android 4.0 ou superior, notícia triste para os usuários de IOS(fanboys) e Windows Phone(Bill Gates e umas 3 pessoas).

 

O DataTraveler microDuo está disponível nas capacidade de 8 GB, 16 GB, 32 GB e, em breve, 64GB. O preços sugeridos são de R$ 37 (8 GB), R$ 60 (16 GB) e R$ 112 (32 GB).

Fonte:Kingston

 


Autor: Uezima

Autor: Uezima | Data: 05/03/2014

Certamente você já deve ter se irritado alguma vez ao acessar a sua caixa de e-mail e notar que ela está lotada, porém cerca de 99% dessas mensagens eram indesejadas, ou seja, SPAM.

A origem desse termo que designa um e-mail sem muita utilidade é um tanto quanto curiosa, para não dizer esquisita. Isso porque a versão mais aceita para o surgimento desse termo afirma que ele apareceu pela primeira vez como uma marca de carne suína enlatada, da Hormel Foods Corporation. E onde entra os e-mails nessa história? Bem … continue lendo.

Com o racionamento de alimentos na Inglaterra após a Segunda Guerra Mundial, SPAM era praticamente abundante e uma das poucas opção para os ingleses. Assim, com o tempo a população foi ficando “enjoada” da marca de carne.

Essa situação foi ironizada por um grupo de humoristas ingleses, conhecidos como Monty Python, em um de seus episódios. Neste quadro, um casal discute com uma garçonete a respeito da quantidade de SPAM nos pratos do restaurante. Enquanto o casal pergunta por um prato que não contenha a carne enlatada, a garçonete repete constantemente a palavra "SPAM" para indicar a quantidade.

Com a grande visualização que o grupo de comediantes conseguiu e a popularização do termo SPAM, anos depois ele foi associado à esse tipo de e-mail indesejado por todos nós.

A Hormel Foods Corporation não questionou o uso do nome de seu produto para representar esse tipo de mensagem eletrônica, mas registrou a palavra SPAM, com letras maiúsculas, para designar seu produto.

Confira abaixo, um trecho do quadro humorístico:

 


Autor: Michel

Autor: Michel | Data: 03/03/2014

Você já teve uma ideia que considera inovadora, e que faria muito sucesso se ela fosse concretizada. Se sim, o que você fez com ela? Guardou na gaveta?

 

A maioria das inovações em tecnologia vem de pessoas comuns que tiveram uma boas ideias.


Se você acha que sua idéia é boa e pode ajudar várias pessoas, então transforme-a em realidade.

 

 

Leitor do blog:

- Mas Big Smoke, como eu faço isso se eu não tenho dinheiro para concretizar minha ideia?

 

Não se preocupe, pequeno gafanhoto. Felizmente hoje, há sites que auxiliam à tranformação de ideias em realidade.

 

Catarse

 

 

Catarse é um site em que os usuários postam suas ideias e criam uma meta de quantia para torná-la realidade Então o usuário poderá receber doações em troca de algo do dono da ideia.

 

Exemplo:

Caso eu tenha a invente de criar uma bola invisível (é um exemplo, não me julguem). Sei como criá-la, porém não tenho os R$ 3.000 necessários para produzir. Nesse caso, eu coloco a sugestão no catarse e crio as opções de pagamento:

 

Até R$ 50 - nome no site do projeto.

 

R$ 50 a R$ 100 - uma bola invisível.

 

R$ 100 a R$ 200 - uma bola invisível + um adesivo do projeto.

 

Se o projeto atinja a quantia desejada, o dono da ideia prossegue com sua invenção. Caso contrário, o dinheiro é devolvido para os colaboradores.

 

Para quem quiser conferir alguns projetos do Catarse, o link para o site está abaixo.

http://catarse.me/pt



Kickstarter

 

O kickstarter é a versão americana do Catarse, onde o funcionamento é bem parecido.

Para quem quiser conferir alguns projetos do Kickstarter, o link para o site está abaixo.

 

https://www.kickstarter.com/



Sempre que você tiver idéias, desenvolva-as e se forem boas, tire-as do papel.

Talvez amanhã você seja o próximo Bill Gates.  :)


Autor: Uezima

Autor: Uezima | Data: 28/02/2014

Dinheiro é bom e todo mundo gosta, porém há quem diz que ele não traz felicidade, se esse for o caso, me dê o seu dinheiro e seja feliz (hehe). Enfim, brincadeiras a parte, aqui estamos para mais uma postagem da fantástica série que está desmistificando os mais clássicos mitos da computação, True or False, episódio de hoje: O dinheiro e a internet, será possível ficar milionário nessa grande invenção dos tempos modernos?

Para iniciar nossas investigações, chamaremos para compor este maravilhoso post, nosso querido colega Billy, que por ser um usuário novato no deslumbrante mundo da computação, ouviu falar que pode ficar rico utilizando a internet. Para isso, Billy resolveu investir pesado em equipamentos eletrônicos, comprando um computador Pentium 2, branco e conexão discada à Internet.

Segundo nosso convidado, logo após instalar sua poderosa máquina, viu um pequeno banner na lateral de um site qualquer sobre um tal de Google que está pagando cerca de R$150,00 por dia, e o melhor de tudo: sem sair de casa. Após deslumbrar essa propaganda, uma lágrima caiu dos olhos de nosso aspirante à usuário, Billy, já que conseguiu achar o tal modo de ganhar dinheiro pela internet sem mesmo ter que pedir auxílio ao seu colega  Harry IdentaCódigo, um profissional de T.I. que atua como formatador de máquinas, técnico de geladeiras e máquinas de lavar, consultor de smartphones e é claro, programador nas horas vagas.

De qualquer forma, voltando para a história de nosso ilustre convidado, Billy realizou o cadastro para receber os tais 150 reais por dia, porém após algumas semanas ficou decepcionado ao notar que não entrou nenhum dinheiro em sua conta bancária, que na verdade estava com menos saldo do que antes. Obviamente, Billy ficou revoltado e neste momento está procurando nas páginas amarelas o telefone de atendimento desse tal Google, além é claro de estar providenciando a documentação necessária para fazer uma reclamação no Procon de sua cidade.

Google não paga 150 reais

O quê será que Billy fez de errado? Será que essa é a forma correta de se ganhar dinheiro pela internet? Parece que não, né?

Existem maneiras sim, mas não é nada fácil

Como já dizia He-man em um de seus maravilhosos conselhos, não existe caminho fácil para as riquezas, assim, isso se aplica à internet também. Acessar a maioria desses métodos que prometem dinheiro fácil pela grande rede só lhe fará ganhar uma coisa: toneladas de vírus, além é claro de expor seus dados pessoais e bancários para pessoas com más intensões. Na internet, desconfie sempre.

Porém, há sim diversas maneiras de se ganhar uma graninha de maneira segura na internet, uma delas é com a produção de conteúdos gratuitos, seja em texto ou em vídeo, com a inclusão de campanhas publicitárias nestas páginas. Para cada clique ou visualização, o proprietário desse conteúdo recebe uma pequena comissão. Se a publicidade estiver numa página muito bem acessada, alguns milhares de reais podem acabar entrando na sua conta, obviamente que isso leva muito esforço e dedicação ao seu conteúdo, para que o mesmo consiga atingir bons números de visualização.

O mesmo pode ser aplicado ao Youtube, onde algumas empresas especializadas neste setor atuam como parceiras de canais que incentivam a produção de conteúdo e colaboram pagando uma quantia mensal aos seus canais afiliados referente ao número de visualizações do vídeo monetizado.

Dessa forma, podemos chegar a conclusão de que é possível SIM ganhar (e muito) dinheiro pela internet, porém é claro, não é nada fácil. Exige muita dedicação para produzir um conteúdo maneiro, que as pessoas possam acessar bastante e render alguns tostões. Para se ter uma ideia da dificuldade, o Google AdSense, que é um serviço voltado especialmente para que os produtores de conteúdo possam monetizar o seu trabalho, para em média 0,20 centavos por clique nas propagandas, porém de grão em grão a galinha enche o papo.




Desenvolvido por:

Desenvolvido por: GUILHERME UEZIMA

Creative Commons (CC) 2013-2014 Tecnodrom.com.br - Alguns direitos reservados

//Frase para encher linguiça (Ops ... :) )

Início das atividades: 01/01/2013

Licença Creative Commons
Tecnodrom - Um blog de tecnologia de Tecnodrom é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada

.
Tecnodrom | Um blog de tecnologia (Ou quase isso ...)